Exagero? Portugueses estão boicotando a picanha brasileira oficialmente; entenda os motivos

0
1769
Compartilhe!

Portugueses continuam demonstrando seu descontentamento pelo que está acontecendo no Brasil. Relembramos que com o nosso passo a passo atualizado para morar em Portugal todo o processo vai se tornar simples.

Esse é mais um sinal de descontentamento dos portugueses

Alguns açougueiros portugueses já trocaram a picanha brasileira pela carne do Uruguai e da Argentina, em protesto contra a devastação causada pelos fogos na floresta amazónica. Quem o diz é a Associação dos Comerciantes de Carnes do Concelho de Lisboa e Outros (ACCCLO) que revela que há já vários estabelecimentos comerciais a boicotar a picanha, a maminha e o lombo de novilho brasileiros, até porque “ao balcão dos talhos e à mesa dos restaurantes há cada vez mais clientes a questionar a proveniência da carne”. O Expresso falou com um desses empresários. “É preciso alertar as consciências”, diz José Carlos Silva, dono de um talho na Mouraria, em Lisboa, onde a carne importada do Brasil foi banida esta semana, e membro da direção da ACCCLO.

A ideia de um boicote ao Brasil está na ordem do dia, seja nas redes sociais ou nos corredores da Comissão Europeia, em Bruxelas. Um dos primeiros sectores a fazer soar as campainhas de alerta foi a indústria da moda. O Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil chegou a avisar o Governo Federal de que algumas das principais marcas internacionais tinham suspendido as compras de couro, mas corrigiu a informação: nesta fase, as marcas pediram apenas “esclarecimentos adicionais” sobre a origem e a rastreabilidade do produto, esclareceu a associação representativa de um sector que exporta 80% do que produz (€2 mil milhões).

Entretanto, as petições online para o boicote à carne brasileira multiplicam-se. Esta é “a arma mais eficaz para destruir automaticamente o motor da desflorestação”, defende a Change.org, atenta ao facto de a Amazónia concentrar 40% da produção do sector, num país que viu as exportações crescerem 25% desde 2010. Ao mesmo tempo, a revista britânica “New Statesman” pediu “um boicote aos produtos brasileiros”, e a Finlândia, na presidência rotativa da União Europeia, apelou aos Estados-membros para analisarem um possível boicote à importação de carne do Brasil. Até o acordo histórico entre a UE e o Mercosul pode estar em risco, depois de franceses e irlandeses anunciarem que não ratificam o acordo se a desflorestação continuar.

Se quiser viver nesse país maravilhoso, tenha suas dúvidas eliminadas e faça parte da nossa enorme equipe que com nosso curso atualizado entrou e se legalizou em Portugal, sabendo de tudo para tornar o processo rápido e simples.