Cursos técnicos em Portugal: veja como ingressar e as suas vantagens

Como funciona o curso técnico em Portugal?

O ensino português tem uma abordagem mais ampla de formação e preparo para o mercado de trabalho. Começando desde o secundário – equivalente ao ensino médio do Brasil – é possível escolher uma formação mais voltada para o mercado de trabalho, especialmente para os jovens que não pretendem cursar faculdade ou que visam um curso técnico superior.

O objetivo do curso técnico é formar profissionais para entrar no mercado de trabalho com o preparo para assumir postos especiais em áreas de grande demanda ou com maior carência. Como o turismo, por exemplo, existem vários cursos técnicos, desde hotelaria até os restaurantes.

O curso técnico do Brasil é válido em Portugal?

Não. Automaticamente nenhum curso realizado no Brasil é válido em Portugal. É preciso realizar a validação do diploma ou, nesse caso, o reconhecimento de grau.

Sendo assim, um curso técnico que não possui grau não pode ser reconhecido em outro país, então, o processo deve ser realizado para o grau mais elevado. Se possuir apenas o ensino médio, pode solicitar o reconhecimento em uma escola portuguesa e para o ensino superior, deve seguir as recomendações da DGES.

Entretanto, para aqueles que já tem um diploma técnico emitido no Brasil é possível ainda solicitar o reconhecimento de nível ou reconhecimento específico, conforme indicado no site da DGES.

Como validar meu curso técnico em Portugal?

Como referimos anteriormente, se você já tem um diploma técnico emitido por uma instituição de ensino brasileira, é possível solicitar a validação e antes de iniciar o processo, é necessário encontrar um curso que esteja na mesma área ou que seja o mais semelhante possível em uma instituição pública de ensino superior para realizar o processo corretamente.

Após ter identificado o curso e a instituição, basta dar início ao processo, que deve ser feito pelo site da DGES preenchendo assim o formulário e apresentando todos os documentos necessários para a comprovação. O processo deve ser único, sendo assim, se iniciou o pedido, deve esperar que ele seja concluído, não pode ser submetido em mais de uma instituição.

Outro detalhe que é extremamente necessário ficar atento, é que o diploma deve ter a Apostila de Haia, esse é o primeiro passo para a validação.

 

Tipos de curso técnico em Portugal

Em Portugal, existem 3 categorias de curso técnicos e cada uma delas está destinada a um público diferente, são elas:

  • Ensino técnico, é destino aos jovens do ensino secundário e corresponde aos 3 últimos anos escolares. Nesse caso, ao fim do ensino básico o aluno deve escolher entre os cursos científico-humanístico, sendo o caminho natural de quem pretende seguir para a universidade, ou uma das modalidades profissionais, que pode ser: aprendizagem, educação e formação (CEF), profissionais e tecnológicos;
  • Curso técnico superior profissional (CTeSP), ministrado por instituições de ensino superior que podem ser universidades ou politécnicos. O curso não confere grau superior, mas um diploma técnico profissional;
  • Curso de especialização tecnológica (CET), ministrados pela rede do IEFP – Instituto Emprego e Formação Profissional – e pelas instituições de formação certificadas pela Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho.

Como fazer um curso técnico em Portugal

O primeiro passo é identificar a área na qual pretende realizar um curso técnico, assim, é possível selecionar os cursos que mais se enquadram no seu perfil e, consequentemente, a instituição de ensino na qual pretende realizá-lo.

Em caso de ser um curso técnico superior profissional, o processo de ingresso pode exigir a nota do Enem, muitos politécnicos aceitam a nota como forma de ingresso, o que facilita muito todo o processo. Cada instituição realiza a seriação, assim, busque se informar sobre os prazos no politécnico escolhido e verifique se você apresenta os requisitos exigidos.

Caso opte por um curso na modalidade CET, deve se informar em cada instituição como é o processo de ingresso e quais os critérios, uma vez que não são unificados ou regulados diretamente pela DGES.

Posso trabalhar fazendo um curso técnico em Portugal?

Depende. Se você possui a cidadania portuguesa, ou de qualquer outro país da União Europeia, caso tenha horários livres, pode sim trabalhar, porém, é preciso ter em consideração que o último semestre do curso é totalmente prático e deve ser realizado um estágio o que pode inviabilizar conciliar as duas atividades nesse período.

Trabalhar com o visto de estudo é possível, com tudo, existe um detalhe. Só é possível trabalhar no caso de possuir o visto de residência, que é emitido para cursos com duração superior a 13 meses, uma vez que o visto é convertido em autorização de residência. Assim, para aqueles que vão realizar um curso técnico superior, basta receber a notificação do SEF de que conseguiu uma atividade remunerada que não vai atrapalhar os seus estudos.

Porém, no caso de ser um curso de especialização tecnológica ou qualquer curso com duração de até 12 meses não é possível trabalhar. Isso porque o estudante recebe apenas o visto com duração para o período do curso, que não é convertido em autorização de residência. Nesse caso, é preciso realizar outro processo para conseguir ficar no país e trabalhar após finalizar o curso.

Vale a pena fazer um curso técnico em Portugal?

Sim, especialmente para quem quer entrar no mercado de trabalho em Portugal em áreas que precisam de profissionais com qualificação. Para além de serem mais rápidos que os cursos de licenciatura ou mestrado integrado, os cursos técnicos superiores podem, posteriormente, ser reconhecidos no Brasil com grau de tecnólogo.

E outra vantagem é a facilidade de inserção no mercado. É comum que as escolas direcionem os alunos que finalizam os cursos para empresas que buscam profissionais com a respectiva formação.

 

Cursos profissionalizantes em Portugal

Em relação aos cursos profissionalizantes, existem diferentes categorias, mas sobretudo os CET, que são cursos de especialização tecnológica, ministrados por escolas privadas. Esses cursos tem curta duração, podendo ser de alguns meses até um ano.

Os cursos profissionalizantes são mais buscados por quem quer investir em uma formação mais rápida e inserção no mercado de trabalho, são também desenvolvidos especialmente para uma prepararação para o mercado de trabalho, mas não conferem nenhum tipo de grau.

Como fazer um curso profissionalizante em Portugal

O ingresso nos cursos profissionalizantes é mais simples, não existe um padrão estabelecido, por isso, pode ser necessário pesquisar a forma de ingresso no curso desejado e, geralmente, esses cursos não tem provas de ingressos e basta realizar a inscrição para iniciar os estudos.

O curso profissionalizante dá direito a residência em Portugal?

Não, como referido anteriormente, os cursos com duração de até 12 meses dão direito ao visto temporário, que é uma modalidade diferente do visto de residência.

Posteriormente, após o fim do curso e da validade do visto, pode ser possível realizar a manifestação de interesse, que é um procedimento para alterar o visto para uma autorização de residência (AR) e com a AR em mãos é possível trabalhar regularmente no país.

Onde fazer um curso profissionalizante em Portugal?

As escolas profissionalizantes, direcionadas para a formação de profissionais em poucos meses, existem em todo o país e, normalmente, são focadas em áreas muito específicas. Sendo assim, o ideal é definir primeiro a área na qual você pretende estudar e buscar por escolas que oferecem cursos nessa área.

.

Quer trabalhar com a internet e sem correr riscos? CLIQUE AQUI.